MENU FECHAR

Ano novo, livros novos: propostas literárias para 2019

Viajámos pelas páginas da imprensa literária mundial para lhe apresentar os próximos grandes autores e autoras e os livros mais aguardados deste novo ano.

 O ano que agora se inicia trará como sempre uma intensa actividade editorial, apostada em satisfazer leitores de todos os cantos do mundo, com os mais variados gostos. Dentro desse imenso mar de novidades, tentamos destacar alguns títulos e autores em que a imprensa cultural de diversos países parece depositar as maiores esperanças literárias. Esta escolha assenta naturalmente em critérios subjectivos, sendo que tentamos aqui a melhor representatividade possível em todos os critérios.

 A Oprahmag construiu uma lista em que estabelece as suas apostas sobre as obras e autoras que mais se destacarão no próximo ano. Dessa lista, retiramos duas ideias. Em “Era of Ignition” a actriz Amber Tamblyn propõe um poderoso manifesto feminista, confessional e profundamente contemporâneo. O livro será lançado a 5 de Março, pela Penguin Random House. “City of Girls”, de Elizabeth Gilbert, será publicado a 4 de Junho, pela Bloomsbury. A Autora de “Eat, pray, love” traz-nos uma evocativa história sobre a entrada na idade adulta, na Nova Iorque dos anos 1940, e a publicação deste livro é um dos acontecimentos editoriais mais aguardados de 2019.

Em relação à lista da Cosmopolitan, optamos por destacar “The Dreamers”, de Karen Thompson Walker, e The Care and Feeding of Ravenously Hungry Girls” de Anissa Gray. A obra de Karen Walker, publicada a 15 de Janeiro pela Penguin Random House, traz-nos uma história com laivos de horror e fantástico, mas também sonhadora e romântica, em que parte significativa dos habitantes de uma cidade fica presa no mundo dos sonhos, cabendo à outra parte salvá-los dessa condição. O livro de Gray, que é aliás a estreia literária desta jornalista premiada da CNN, é considerado por quem já o leu em avanço um verdadeiro tratado literário sobre as relações humanas e o poder de perdoar. A publicação está prevista para 19 de Fevereiro, também pela Penguin Random House.

A Esquire sugere, entre vários outros títulos, que aguardemos na melhor expectativa os livros “Black Leopard, Red Wolf”, de Marlon Jamese “The World Doesn’t Require You”, de Rion Amilcar Scott. Marlon James, que já conhecemos do poderoso “Breve história de Sete Assassinatos” (Relógio D’Água, 2016), aliás vencedor do Man Booker Prize de 2015, traz-nos desta vez uma história mais próxima do registo fantástico e mitológico, em que um mercenário é encarregue de encontrar uma criança perdida. Este seu livro é a primeira parte de uma trilogia e promete não só captar a fidelidade de leitores de todo o mundo, mas também elevar James ao estatuto de estrela. Será publicado pela Penguin Random House a 5 de Fevereiro. Já o livro de Rion Scott é uma compilação de histórias em torno de temas tão diversos como o amor, a religião e a violência, num estilo de realismo mágico que tem atraído elogios de grande parte da crítica literária americana. Teremos, no entanto, de aguardar até Agosto pela sua publicação, com o selo da W.W. Norton.

Fomos investigar o panorama da próxima grande literatura em castelhano, e deixamo-nos levar pelas sugestões do El Confidencial. Destas, destacamos Daniel Jiménez, com o livro “Las dos muertes de Ray Loriga” e “La hija de la española”, de Karina Sáinz Borgo. O livro de Jiménez tem sido largamente elogiado enquanto objecto estranho, em parte literatura, em parte biografia, em parte meta-literatura, num estilo original que promete converter o autor numa das mais importantes vozes da literatura em castelhano. Edição da Galaxia Gutenberg, a 9 de Janeiro. A obra de Karina Sáinz Borgo, jornalista venezuelana radicada em Espanha, gerou uma expectativa tão grande na última Feira do Livro de Frankfurt, que a sua publicação, a 7 de Março, ocorrerá em 15 idiomas distintos. Trata-se de uma história que tem como cenário o desastre humanitário e social a que se assiste em Caracas, e praticamente todos os meios de comunicação em castelhano a têm referido e entrevistado, revestindo esta expectativa de tons quase messiânicos. A espera será difícil.

Em França, decidimos seguir as indicações do Le Point, e aguardamos com natural expectativa os livros de Bénédicte Belpois, “Suiza” e de Tahar Ben Jelloun, “L’Insomnie”. “Suiza”, que será publicado pela Gallimard, tem data prevista de saída para 7 de Fevereiro. A história gira em torno da chegada de uma jovem mulher a uma pequena comunidade, onde a sua sensualidade, ora ostensiva, ora inocente, não tarda a atrair a atenção dos homens e a subverter o frágil tecido social da localidade.  A publicação do livro tem gerado enorme expectativa junto da comunidade literária francesa, pelos comentários profundamente elogiosos dos críticos e dos agentes literários que, entretanto, já leram a obra. Tahar Bem Jelloun traz-nos uma história em que a personagem principal descobre que o crime é a única forma de curar as suas insónias, num registo mordaz e com um humor que tem colhido elogios de grande parte da crítica. Publicação da Gallimard prevista para 10 de Janeiro.

Já em Itália, a RTL destaca os autores Edoardo Albinati, com a obra “Cuori fanatici”, ambientada nos anos 80, com Edição da Rizzoli prevista para Fevereiro, ; Mauro Garofalo, com “Il fuoco e la polvere”, romance histórico cujo registo é referido como estando entre Cormac McCarhty e Quentin Tarantino (Frassinelli); e Michela Marzano, com “Idda”, que traz a história cruzada de duas mulheres de diferentes gerações e que nos leva a questionar sobre o amor, a família e a identidade. A edição será da Einaudi.

O siteda W24 prefere chamar a atenção para autores africanos que, embora já tenham publicado em 2018, merecem a atenção de leitores de todo o mundo neste novo ano. Destacamos desta lista as obras “The theory of flight”, de Siphiwe Gloria Ndlovue e “The love diary of a Zulu boy”, de Bhekisisa Mncube. Estreia literária de Ndlovue, “The theory of flight” é um deleite enquanto celebração literária, com uma enorme galeria de personagens, ritmo e magia. Já “The love diary of a Zulu boy”, também a estreia literária do talentoso jornalista Bhekisisa Mncube, é uma intensa história de amor que desafio o preconceito racial. A não perder.

Não sabemos se existem, entretanto planos para tradução de qualquer um dos livros aqui referidos, por parte das editoras nacionais.

Em Portugal, seguimos as páginas de três editoras que já começaram a desvendar um pouco a sua actividade editorial para o novo ano: a Companhia das Ilhas, a Antígona e a Cavalo de Ferro.

 A Companhia das Ilhas irá continuar o seu monumental trabalho de publicação integral da obra completa de Vitorino Nemésio, o que constituirá sem dúvida um dos pontos altos da edição em Portugal para 2019. Com a coordenação editorial a cargo de Luiz Fagundes Duarte e em colaboração com a INCM, a colecção estará estruturada em quatro séries: Poesia, Teatro e Ficção, Crónica e Ensaio. “Poesia (1916-1940)“, já publicado, é o volume inaugural. Aguardamos com renovado interesse os próximos volumes.

 A Antígona propõe uma colectânea de contos de Leonid Andréev, “As trevas e outros contos” já para Janeiro. Em constante conflito com o seu tempo, Andréev (1871-1919) deixou uma obra mística, profundamente honesta e apaixonada. A publicação está prevista para 21 de Janeiro e terá tradução de Nina Guerra e Filipe Guerra. Mas podemos igualmente esperar novos títulos de George Saunders, Eduardo Galeano e Jack London. Mais um grande ano que se avizinha para esta histórica editora que em 2019 completará 40 anos de actividade! Parabéns e obrigado, Antígona!

A Cavalo de Ferro não faz por menos e traz-nos belíssimas propostas: “Viagens”, de Olga Tokarczuk, venceu o Man Booker International e é, segundo a editora, «um romance brilhante e original sobre o conceito de viagem no século XXI, que cruza narrativa e reflexão numa meditação sobre o tempo, o espaço, a mitologia.» Mas podemos igualmente esperar “A Minha Intenção”, compilação inédita de ensaios de Czeslaw Milosz, Prémio Nobel de Literatura, e «Zama», um romance de Antonio di Benedetti, obra maior da literatura argentina, em estreia em Portugal.

Um bom ano para todos os amantes de livros e boas leituras para todos: mais do que um desejo, e com todas as possibilidades em perspectiva, será com certeza uma realidade!

Share your thoughts